A escritura da Constituição 


No dia dez de Fevereiro de mil novecentos noventa e três, no Cartório Notarial de Alcobaça, perante mim, Maria Idalina Fernandes Pereira Amador, Notária interina do Cartório, compareceram como outrogantes:


A) ANTÓNIO MARIA ABREU RAPOSO DE MAGALHÃES, divorciado, natural de S. Sebastião da Pedreira, Lisboa, residente na R. Dr. José Nascimento e Sousa, nº7, em Alcobaça;


B) ÂNGELO DE OLIVEIRA FONTES, casado, natural de Grijó, Vila Nova de Gaia, residente na R. Dr. Manuel das Neves, nº 67, 1º dtº, em Aveiro;


C) MÁRIO ALBERTO PIRES LOPES, casado, natural de Loureiro, Oliveira de Azeméis, onde reside.


Verifiquei a sua identidade, do primeiro por conhecimento pessoal e dos restantes por exibição dos seus B. de I. respectivamente 1766978, de 7/12/90 e 1974014, de 29/4/88 emitidos pelo C.I.C.C. de Lisboa.


DECLARARAM:

 

Que constituem uma associação, que ficará a reger-se pelos estatutos constantes de um documento complementar, que arquivo;


A Associação adopta a denominação GOLDWING CLUBE DE PORTUGAL, com sede na Rua Dr. José Nascimento e Sousa, número sete, na vila, freguesia e concelho de Alcobaça, e tem por objecto promover o mototurismo, a difusão da mota Goldwing, bem como a defesa dos interesses dos sócios enquanto utilizadores deste tipo de motos, promovendo a obtenção de peças e acessórios, a obtenção de informações de carácter técnico e assegurar a resolução de todas as questpões com aquelas relacionadas.


EXIBIRAM:


O certificado de admissibilidade da denominação adoptada, emitido pelo Registo Nacional de Pessoas Colectivas, em 29 de Janeiro findo.


Esta escritura foi lida e o seu conteúdo explicado em voz alta aos outorgantes na presença simultânea de todos, que já leram o documento complementar, pelo que foi dispensada a sua leitura.


Conta registada sob o nº 60.

 


 

Topo