O Regulamento Interno


A denominação oficial da associação é GOLDWING CLUBE DE PORTUGAL, abreviadamente referida como GWCP.

CAPÍTULO I

DENOMINAÇÃO E OBJECTIVOS


Artigo 1º  A denominação oficial da associação é GOLDWING CLUBE DE PORTUGAL, abreviadamente referida como GWCP.

Artigo 2º  1 – O GWCP tem por objectivo a defesa dos interesses dos proprietários enquanto tal, das motos marca Honda, modelo Goldwing, e a promoção de actividades lúdicas, culturais, recreativas e desportivas entre os mesmos.

2- Para os efeitos do exposto no n.º anterior, o GWCP procurará:

a) Promover reuniões, encontros, passeios e concentrações de sócios, com vista ao seu conhecimento;

b) Divulgar entre os associados informação técnica relativa a todas as versões do modelo;

c) Obter para os associados facilidades na aquisição de bens e serviços relacionadas com o modelo;

d) Relacionar-se com os clubes homólogos no estrangeiro.

3  O GWCP privilegiará a prática de actividades que levem em conta a defesa do ambiente, da natureza e do património nacional.

 

 CAPÍTULO II

INSÍGNIA

 

Artigo 3º  As cores representativas do GWCP em todas as suas manifestações têm por base o azul e dourado.

Artigo 4º  O emblema do GWCP será de acordo com o Anexo I do presente Regulamento Interno.

Artigo 5º  A bandeira do GWCP, em tecido apropriado, será rectangular com a dimensão horizontal superior à vertical e de acordo com o Anexo I do presente Regulamento Interno.

Artigo 6º  O estandarte do GWCP será quadrado e terá confecção idêntica à da bandeira, mas em tecido seda.

Artigo 7º  O guião do GWCP terá um quarto da dimensão da bandeira e terá confecção idêntica à desta.

Artigo 8º

A flâmula do GWCP terá a forma triangular e um oitavo da dimensão da bandeira.

Artigo 9º – O GWCP poderá conceber emblemas de natureza diversa para os acontecimentos relacionados com a actividade associativa.

Artigo 10º – O GWCP poderá premiar um sócio, evento ou pessoa colectiva concebendo para o efeito troféu ou medalha específicos.

Artigo 11º – O GWCP poderá dispor de todo o tipo de artigos como forma de promoção e divulgação do nome e das actividades do Clube.

 

CAPÍTULO III

SÓCIOS


Artigo 12º – Candidatura e processo

1 – A candidatura é o processo de admissão pelo qual o proponente manifesta a vontade consciente e esclarecida de ser sócio.

2 – A proposta de admissão de sócio deve ser acompanhada da respectiva jóia e do montante proporcional da quota correspondente ao número de meses até trinta e um de Dezembro, incluindo o mês de inscrição.

3 – Só será considerado sócio do GWCP o indivíduo que depois de analisada a respectiva proposta de admissão, esta seja aprovada pela Direcção.

4 – O sócio é a pessoa singular ou colectiva cuja candidatura foi aceite pela Direcção.

Artigo 13º – Não poderão ser admitidos como sócios do GWCP os indivíduos que tenham contribuído de qualquer forma, para o desprestígio do GWCP.

Artigo 14º – A quota considera-se vencida no primeiro dia do mês de Janeiro e deverá ser liquidada até ao primeiro evento do ano.

Artigo 15º – Sócios com quotas em atraso.

1- O sócio que não liquide a sua quota no prazo estabelecido no artigo 14°. fica automaticamente suspenso da sua qualidade de sócio.

2 – O sócio que tiver em atraso mais de um ano de quotas, será avisado pela Direcção para proceder à sua liquidação e deixará de receber correspondência do clube.

3 – O sócio que depois de avisado pela Direcção, não liquidar as quotas até final desse ano, será proposta pela Direcção, na primeira Assembleia-geral que houver, a sua exclusão.

Artigo 16º – O sócio suspenso pelo disposto no ponto 1 artigo 15º, poderá fazer cessar a suspensão, pagando todas as quotas em atraso e a do ano em curso, se entretanto não tiverem ocorrido outros factos impeditivos.

Artigo 17º – O sócio que pretender deixar de pertencer ao GWCP deverá participá-lo por escrito à Direcção.

Artigo 18º – Modo e forma de pagamento da quota.

1 – A quota será liquidada anualmente e numa prestação única, conforme art. 14°.

2 – O pagamento da quota será realizado preferencialmente pela seguinte ordem:

a) Débito em conta bancária;

b) Transferência bancária ou depósito em conta do Clube, devendo neste caso o sócio enviar à Direcção comprovativo do seu pagamento;

c) Qualquer outro meio de pagamento, desde que autorizado pela Direcção.

Artigo 19º – Expulsão de sócio

1 – A expulsão de um sócio é da competência restrita da Assembleia-geral,

2 – A expulsão de sócio faz-se por proposta da Direcção e após conclusão de processo disciplinar instaurado para o efeito.

3 – O sócio expulso não poderá fazer nova candidatura.

Artigo 20º – Categorias de sócios.

1 – Os sócios podem ser efectivos, extraordinários, colectivos e honorários.

2 – Sócios efectivos são as pessoas singulares, de nacionalidade portuguesa ou de outra nacionalidade, possuidores de um motociclo de marca Honda e modelo Goldwing, que participe activa e regularmente nas actividades do GWCP.

3 – Sócios extraordinários são as restantes pessoas singulares não abrangidas na anterior alínea.

4 – Sócios  colectivos  são  as pessoas colectivas cujo objecto social pode estar relaciona do com actividades motociclistas ou não.

5 – Sócios honorários são as pessoas singulares e colectivas que prestaram relevantes serviços ao Clube.

Artigo 21º - Alteração da categoria de sócio.

1 – Os sócios que adquiram a qualidade de honorários não perdem os direitos e deveres decorrentes da sua anterior categoria de sócio.

Artigo 22º – Direitos de sócio

1 – Qualquer sócio pode:

a) Enviar artigos para a revista Goldwing Notícias;

b) Participar em actividades nacionais e internacionais;

c) Utilizar o logótipo, emblemas e demais distintivos do Clube;

d) Usufruir e gozar das regalias, benefícios e outras vantagens do GWCP ou de outras entidades nacionais e internacionais com quem tenha protocolo, convénio, acordo sobre qualquer artigo, área, matéria, prestação de serviço ou actividades diferenciadas.

2 – O Clube só pode ser representado por sócios efectivos.

3 – Os sócios efectivos são os únicos eleitores e elegíveis para os órgãos sociais.

Artigo 23º – Deveres do sócio

Todos os sócios devem:

a) Pagar a quota anual;

b) Colaborar com os órgãos sociais;

c) Cumprir com as decisões da Direcção;

d) Zelar e defender os interesses do Clube;

e) Dar conhecimento de factos prejudiciais ao Clube;

f) Respeitar e cumprir os Estatutos e Regulamento Interno;

g) Desempenhar com zelo e diligência as funções para que for nomeado.

Artigo 24º – Extinção da qualidade de sócio

1- A condição de sócio extingue-se por:

a) Falecimento;

b) Desistência;

c) Exclusão;

d) Expulsão.

2 – Falecimento consiste na cessação da actividade humana do sócio por morte física.

3 – Desistência consiste na comunicação escrita ou pessoal do sócio á Direcção, dando conhecimentozito que pretende cessar o vínculo com o Clube.

4 – Exclusão consiste na perda da qualidade de sócio por razões relacionadas com problemas administrativos (falta de pagamento prolongada.)

5 – Expulsão consiste na perda definitiva da qualidade de sócio por decisão da Assembleia Geral.

 

CAPÍTULO IV

NÚCLEOS E DELEGAÇÕES


Artigo 25º - 1 – O pedido para a constituição de Núcleo ou Delegação será dirigido à Direcção do GWCP, subscrita pelos pretendentes, sócios do GWCP, o qual deverá sempre respeitar os Estatutos e o Regulamento Geral do GWCP.

2 – Os Núcleos ou Delegações serão sempre subordinados aos princípios e normas gerais do GWCP e dependentes, administrativa e economicamente, do GWCP.

3 – A Direcção apreciará o pedido para a constituição de um Núcleo ou Delegação, e resolverá tendo em atenção os interesses do GWCP e tomando em consideração os argumentos apresentados pelos interessados.

4 – Qualquer manifestação desportiva ou social, fora do âmbito local do respectivo Núcleo ou Delegação, deverá ser sujeita à aprovação da Direcção do GWCP.

5 – Do indeferimento do pedido referido na alínea 1 deste artigo, poderá ser interposto recurso para a Assembleia-geral do GWCP.

 

CAPÍTULO V

ÓRGÃOS SOCIAIS


Artigo 26º – 1 – As eleições devem realizar-se oficialmente de dois em dois anos e durante o último bimestre.

2 – Até trinta dias antes das eleições, a Direcção em funções apresentará, ao Presidente da Assembleia-geral, a lista dos Órgãos Sociais que tenha elaborado.

3 – Durante o mesmo prazo, poderão ser apresentadas outras listas desde que subscritas por um número de 10 sócios efectivos com mais de um ano de antiguidade no pleno gozo dos seus direitos estatutários.

4 – Ao sócio é permitido pertencer a mais de uma candidatura e subscrever mais de uma lista eleitoral, mas não pode ser subscritor da lista de que faça parte.

5 – Para pertencer a uma candidatura o sócio terá que ser efectivo, com mais de um ano de antiguidade e no pleno gozo dos seus direitos estatutários.

Artigo 27º – 1 – Todas as listas eleitorais deverão ser apresentadas ao Presidente da Mesa da Assembleia-geral e serão acompanhadas de declarações dos sócios propostos, confirmando a aceitação do cargo para que são candidatos.

2 – Nas listas eleitorais será designado o lugar para que se propõe ser eleito cada um dos candidatos.

3 – O Presidente da Mesa da Assembleia-geral verificará a elegibilidade dos candidatos e rejeitará a lista ou listas eleitorais que contenham candidatos inelegíveis.

4 – De posse das listas eleitorais, o Presidente da Mesa da Assembleia-geral mandará elaborar as respectivas listas de votação e identificará cada uma delas por uma Letra.

Artigo 28º – A posse dos órgãos sociais eleitos será dada até 30 dias após as eleições, ou do devido sancionamento, se for caso disso, em local, data e hora marcados pelo Presidente da Mesa da Assembleia-geral cessante.

Artigo 29º - 1 – Se, no decorrer do mandato, vagar o lugar de Presidente da Direcção ou do Conselho Fiscal, será o mesmo preenchido por um dos outros elementos eleitos para o mesmo órgão, no caso do Presidente da Assembleia-geral o lugar será preenchido pelo Secretário.

2 – As vagas de cargos efectivos ocorridos no decurso do mandato serão preenchidas por cooptação.

3 – A demissão ou abandono colectivo da Direcção implica que os restantes Corpos Gerentes se considerem solidários e, neste caso, o Presidente da Assembleia Geral deverá convocar uma Assembleia, no prazo de 15 dias, a contar da data em que tomou conhecimento do facto, para eleição de novos Corpos Gerentes.

Artigo 30º – Assembleia-geral

1 – Nas reuniões da Assembleia-geral, os sócios que a constituem deverão inscrever-se nos livros de presença.

2 – A referida inscrição somente será permitida em face da apresentação do respectivo cartão de identidade de sócio, com a quota paga nos termos regulamentares.

3 – O Presidente da Mesa da Assembleia-geral pode permitir a dispensa daqueles documentos, desde que disponha na altura dos elementos necessários para identificação do sócio.

4 – Essa inscrição pode ser feita em qualquer altura da reunião e é obrigatória para todos os sócios que pretendam tomar parte nos trabalhos e exercer o seu direito de voto.

5 – Nas reuniões da Assembleia-geral, podem ser apresentados quaisquer assuntos de interesse para o Clube, estranhos á ordem dos trabalhos, durante período de tempo limitado, concedido para o efeito pelo Presidente da Mesa no início ou no final da reunião.

6 – As deliberações da Assembleia-geral serão tomadas por maioria absoluta de votos dos associados presentes, sendo a votação feita obrigatoriamente por escrutínio secreto, sempre que envolva mérito, demérito ou expulsão de algum associado.

 

CAPÍTULO VI

ASSEMBLEIA GERAL


Artigo 31° – Compete ao Presidente da Mesa da Assembleia-geral

a) Convocar a Assembleia-geral todos os anos, durante o primeiro trimestre, para discussão e aprovação das contas e relatório do Conselho Fiscal, de dois em dois anos, no último bimestre, para eleição dos Órgãos Sociais e extraordinariamente sempre que lhe seja requerido;

b) Durante as sessões, abrir e encerrar trabalhos, interrompendo-os se for caso disso e reabrindo-os de novo ou em nova sessão em dia que designará;

c) Velar pelo cumprimento dos Estatutos e Regulamentos;

d) Ordenar as votações, declarar os respectivos resultados e manter as deliberações da Assembleia, desde que não contrariem o disposto nos Estatutos e Regulamento Interno;

e) Proclamar a eleição dos órgãos sociais;

f) Rubricar os livros de actas da Assembleia-geral e assinar as actas elaboradas:

g) Desempatar as votações da Assembleia-geral em caso desempate.

Artigo 32° – Compete ao secretário

a) Ler a acta que tenha que ser apreciada e votada, bem como todo o expediente e correspondência da Mesa;

b) Colher todos os elementos para a acta da reunião e redigi-la, provendo também ao expediente da Mesa da Assembleia-geral;

c) Assinar, juntamente com o Presidente da Mesa da Assembleia-geral, as actas e outros actos de posse.

  

CAPÍTULO VII

DIRECÇÃO


Artigo 33º – Definição e competência

1 – A Direcção é o órgão executivo por excelência, zelando pelo cumprimento das disposições estatutárias ou regulamentares, e das decisões da Assembleia-geral.

2- Á Direcção compete

a)     Emitir e difundir comunicados;

b)     Constituir comissões de trabalho;

c)     Organizar e presidir ás actividades do Clube;

d)     Planear e programar o Plano de Actividades Anual;

e)     Propor a convocação de Assembleias Extraordinárias;

f)     Propor alterações aos Estatutos e Regulamento Interno;

g)     Nomear e destituir o Director da Revista Goldwing Notícias;

h)     Apreciar o processo de admissão, suspensão e exclusão do sócio;

i) Aplicar sanções após conclusão do respectivo processo disciplinar;

i)     Apresentar a proposta de expulsão de um sócio à Assembleia-geral;

j)     Definir e controlar o padrão dos distintivos e artigos emblemáticos do GWCP;

I)     Estabelecer prémios e atribui-los aos participantes em actividades nacionais planeadas e realizadas pelo GWCP;

m)     Representar o GWCP perante qualquer entidade pública ou privada, nacional ou estrangeira, independentemente da natureza do assunto;

n)     Vincular-se perante outras entidades nacionais ou internacionais, desde que tenha sido autorizado para esse efeito pela Assembleia-geral;

o)     Ser parte outorgante, em representação do GWCP, em qualquer negócio jurídico, contrato, escritura, desde que autorizado pela Assembleia-geral;

p)     Resolver todos os casos mesmos aqueles que não estejam regulados ou previstos estatutária ou regulamentarmente, devendo posteriormente serem rectificados pela Assembleia-geral.

3 – Os actos directivos são recorríveis para a Assembleia-geral.

Artigo 34º – Constituição

A Direcção é constituída pelo Presidente, Secretário e Tesoureiro.

Artigo 35º – Competência

1 – Ao Presidente da Direcção compete

a)     Convocar a Direcção;

b)     Representar o GWCP;

c)     Dirigir os trabalhos da Direcção;

d)     Aceitar ou rejeitar as candidaturas;

e)     Apresentar o Plano de Actividades;

f)     Delegar competência e representação;

g)     Convocar e dirigir os trabalhos da Direcção;

h)     Instaurar processos disciplinares aos sócios;

i)     Nomear e destituir o representante internacional e o director do Goldwing Notícias.

2 – Ao Tesoureiro compete

a)     Verificar o pagamento das quotas;

b)     Alertar e indicar os sócios com quotas em atraso;

c)     Elaborar anualmente o orçamento;

d)     Apresentar mensalmente o balancete;

e)     Escriturar os livros de receitas e despesas;

f)     Executar outras tarefas atribuídas pelo Presidente;

g)     Prestar contas ao Presidente, sempre que necessário;

h)     Receber e pagar em conformidade com os compromissos assumidos pelo GWCP.

3 – Ao Secretário compete

a)     Arquivar a documentação;

b)     Expedir a correspondência;

c)     Manter o inventário geral do GWCP;

d)     Manter actualizado o ficheiro de sócios;

e)     Executar outras tarefas atribuídas pelo Presidente;

f)     Apresentar o mapa anual da alteração da categoria dos sócios;

g)     Elaborar o processo administrativo de admissão e suspensão do sócio.

 

CAPÍTULO VIII

CONSELHO FISCAL

 

Artigo 36º – Competências

1 – Compete ao Presidente do Conselho Fiscal

a) Convocar as reuniões do Conselho Fiscal e presidir aos seus trabalhos;

b) Representar o Conselho Fiscal em todos os actos que considerem necessário intervir.

2 – Compete aos secretários

a) Secretariar as reuniões, elaborar as actas, promover o expediente do Conselho e dirigir o seu arquivo;

b) Estudar os assuntos que lhes sejam distribuídos e elaborar os relatórios e projectos de parecer, para apreciação do Conselho Fiscal.


CAPÍTULO IX

DISCIPLINA


Artigo 37º - 1 – Constitui infracção disciplinar a violação, por um sócio membro do GWCP, de qualquer dos deveres consignados neste Regulamento Interno.

2 – Constitui ainda infracção disciplinar qualquer acto ou comportamento violador dos princípios orientadores do GWCP.

Artigo 38º – 1 – A infracção disciplinar cometida por um sócio poderá dar origem a processo disciplinar logo que seja do conhecimento de qualquer órgão social do GWCP ou dos seus membros.

2 – Compete à Direcção decidir da instauração do processo disciplinar.

Artigo 39º – 1 – O processo disciplinar será instaurado com base em auto de notícia, quando seja presenciada ou verificada a prática de infracção.

2 – O processo disciplinar poderá também ser instaurado com base em participação feita à Direcção pelas entidades oficiais, ou por qualquer sócio.

3 – Compete à Direcção nomear o instrutor do processo disciplinar que, quando possível, será um membro do Conselho Fiscal.

4 – Depois de instruído o processo, se constatar da veracidade da infracção e da responsabilidade do arguido, será o mesmo notificado para, no prazo de cinco dias, apresentar a sua defesa escrita e oferecer a prova documental e as testemunhas que entender necessárias.

5 – Concluído o processo disciplinar, o seu instrutor remetê-lo à Direcção com o respectivo relatório, a qual o fará seguir para a Mesa da Assembleia-geral com o seu parecer, se for caso disso.

6 – Enquanto o processo não for apreciado pela Assembleia-geral, a primeira que tiver lugar depois da sua conclusão, o sócio arguido ficará suspenso preventivamente.

7 – Qualquer das penalidades previstas neste Regulamento Interno, deverá ser comunicada ao sócio no prazo de cinco dias, pela Direcção ou Mesa da Assembleia-geral, conforme as sanções.

8 – As penalidades previstas serão a repreensão, suspensão e expulsão.


CAPÍTULO X

DISPOSIÇÕES GERAIS


Artigo 40º – Este Regulamento Interno entrará em vigor logo que aprovado pela Assembleia Geral do GWCP.

 

ANEXO 1 DO REGULAMENTO INTERNO DO GWCP

Emblema do GOLDWING CLUBE DE PORTUGAL

Principais componentes:

Lettering / Condor / Escudo Português


Descrição:

Lettering – “GOLDWING” de origem Honda, encimando o Condor.

Em rodapé a legenda “CLUBE DE PORTUGAL” em caracteres Times New Roman Bold.

Condor – Corpo do Condor com asas abertas e “cara” virada para o lado esquerdo, com design de origem Honda. “Peitoral” do condor “ocupado” pelo escudo Português.

Cores para aplicação em suportes de fundo branco:

Lettering: Azul Pantone – Reflex blue-c Condor: Ouro Pantone – 872-c Fundo do escudo: Vermelho Pantone – 186-c

Castelos: Amarelo Pantone – 123-c Quinas: Azul Pantone – Process Blue-c

Cores para aplicação em suportes de fundo azul:

Azul Pantone – Reflex blue-c Lettering: Azul Pantone – Process blue-c Condor: Ouro Pantone – 872-c

Fundo do escudo: Vermelho Pantone – 186-c Castelos: Amarelo Pantone – 123-c

Quinas: Azul Pantone – Process Blue-c


Emblema de lapela:

Redondo, com o diâmetro de 16 milímetros Fundo Azul Pantone Reflex Blue Elementos gráficos no amarelo do metal .

Bandeira para a mota:

Em pano de cor aproximada ao Azul Pantone Reflex Blue-c, com todos os elementos do emblema bordados a fio dourado metálico.

Esta bandeira é de dupla face e tem as seguintes dimensões finais exteriores:

Altura: 25 centímetros Largura: 40 centímetros

As dimensões de todos os elementos gráficos a serem bordados a fio dourado metálico nesta bandeira, são os resultantes proporcionais da medida de ponta a ponta das asas do Condor que é de 15 centímetros.

 

ANEXO 2 DO REGULAMENTO INTERNO

Símbolo Alternativo: Goldwing clube de portugal logo novo

- Corpo Condor de asas abertas a olhar para a esquerda

- Lettering: Honda como nas 1500 mais modernas com sombra, de cor ouro pantone 872-C

 

ANEXO 3 DO REGULAMENTO INTERNO

“PÁGINA INTERNET”


1 ° – A página internet ou “site” deve ser o espelho do clube dado ser um local visível do exterior, nacional ou estrangeiro.

2° – A sua actualização deve ser sempre que necessário, ou no mínimo bimensal.

3° – Nela devem constar as seguintes rubricas:

3.1 – Historial do clube

3.2 – Link para fotos dos eventos (em virtude de não ser possível publicar grandes quantidades de fotos no Gold WingNotícias).

3.3 – Link para o Fórum.

3.4 – Publicação em pdf da carta que habitualmente recebemos no correio, a anunciar os detalhes dos eventos.

3.5 – Lista completa de actividades para o ano corrente.

3.6 – Secção privilegiada para a Concentração Internacional para consulta dos membros da GWEF.

3.7 – Outros considerados de interesse;

3.8 – Se possível deve ter 2 versões: Português e Inglês.

4° – Compete à direcção nomear o responsável pelo “site” que se encarregará da sua manutenção e conteúdo e reportará directamente à direcção.

(No caso de não haver no clube quem tenha conhecimentos para se encarregar desta tarefa, a direcção contratará alguém para este fim.)


“FORUM”

O “fórum” deve ter entrada a partir da “site” do clube, carecendo para isso de uma inscrição dos candidatos a participantes, a quem será atribuída uma senha e um nome de utilizador;

1- O “fórum” servirá somente para tratar dos assuntos considerados de interesse para o regular funcionamento do clube, bem como assuntos de carácter técnico das Goldwings ou divulgação de legislação acabada de sair cujo âmbito abranja o motociclismo.

2- Não serão tolerados assuntos de natureza lúdica, como anedotas, filmes, fotos ou outros do género.

3- À direcção compete nomear o coordenador ou responsável de conteúdos do fórum que poderá se assim o entender, interditar a publicação de textos ou fotos consideradas, provocatórias, insultuosas ou cujo conteúdo seja desajustado ao fim proposto.


“MAILING LIST”

1-A mailling list será um meio de comunicação entre sócios de carácter informal cuja função será a simples troca de informações genéricas e particulares ou de carácter lúdico.

2-Compete à Direcção nomear um responsável pela ML sue se encarregará pelo registo dos elementos participantes e velará pelos conteúdos aí publicados.


“GOLDWING NOTICIAS”

1- O Goldwing Noticias, é o orgão de comunicação escrito do GWCP cuja função principal é manter o contacto entre a direcção e os sócios através da divulgação atempada de informações, expressão de opiniões – quer no Editorial (a cargo do seu Director) quer na Nota de Abertura (a cargo do Presidente da Direcção) – mantendo uma função tradicional narrativa de eventos passados e divulgação de fotos ao jeito de revista.

2- É permitido a qualquer sócio enviar artigos os opiniões que serão reproduzidos na integra, salvo se o seu conteúdo for manifestamente contrário aos bons principios da educação ou incitem à discórdia ou à violência.

3- A publicidade incluída no GW Noticias deve ser paga por preço fixado pela direcção e as receitas destinam-se a custear as despesas de edição.

4- O Directo do GoldWing Noticias é nomeado pela direcção, sem periodicidade estabelecida, sendo o único responsavel pelo conteúdo do mesmo, devendo também, zelar, tanto quanto possivel, pelo cumprimentos dos prazos de publicação.

( Nota informativa: Este Regulamento Interno e o Anexo 1 do GWCP foram aprovados em Assembleia-geral, no dia 5 de Dezembro de 1998, com as alterações introduzidas e aprovadas em Assembleia-geral realizada em 7 de Dezembro de 2002, e Assembleia-geral realizada em 11 de Fevereiro de 2006. Os Anexos 2 e 3 do GWCP foram aprovados em Assembleia-geral, no dia 9 de Fevereiro de 2008.)

 


Este texto em formato digital foi-nos facultado pelo nosso Sócio e Amigo Aurélio Gomes do Nucleo LVT.


 

Topo